• Equipe uP

Relato uP3 B

Gardens

Dear Parents,


A obra de Varejão criou vivências muito curiosas: dentre elas, a percepção clara do dentro e do fora, de modo que a parede azulejada foi, na imaginação das crianças, muralha do seu castelo. Em cima da plataforma de madeira, elas se sentiam protegidas e grandes.


Surgiu a oportunidade de sair, de caminhar para as áreas externas dessas casas, de ir para os jardins! Assim, fundamentado nas composições de Burle Marx, o projeto mostrou formas muito peculiares em construir jardins coloridos e curvilíneos como um percurso de rio. Observem o cinturão vermelho contrastando ao verde vivo da casa Caravelas, no Rio de Janeiro.


Antes de compor os jardins, Burle Marx pintava-os, tracejando cores e formas orgânicas. Assim, ao mostrar a obra Ministers Rooftop Garden, Ministry of Health and Education, 1938 às crianças, Nicolas Amaral disse que eram minhocas, enquanto Victor, montanhas. Certamente, eles estavam se referindo às formas curvilíneas e o que é muito particular é utilizar-se de palavras que sejam tão familiares aos jardins e, portanto, pode-se fazer bons casamentos: minhoca + terra; montanha é curva. Além disso, Valentina viu galinhas; Alice, baleias; Isabel, fish – o que parece uma fidelidade para com a paleta de cor desse bípede e uma percepção do movimento e da forma dos corpos dos bichos no mar.


Os jardins de Burle Marx devem receber atenção por motivos diversos: pelos seus valores pedagógicos; pelas inovações, em que, com o uso de plantas típicas brasileiras, o jardim passa a ser mais familiar, além do estilo desmedido das cores que o tiraram da mesmice verde, dando-lhe (ao jardim) também características da pintura. Neles, há ainda esculturas. E, assim, têm três vertentes artísticas diferentes: pintura, escultura e paisagem.


Burle Marx dizia que os jardins tinham um cunho social/pedagógico, uma vez que, quando bem construídos, com uma beleza essencial, seriam facilmente preservados.

(...) “a missão social do paisagista compreende, sem sombra de dúvidas, um aspecto pedagógico. Cumpre-lhe fazer compreender e amar o que a natureza representa, com ajuda de seus jardins e seus parques. No Brasil, onde reina o desamor característico pelo que é plantado, a experiência ensinou-me a sempre insistir sobre a transformação das mentalidades”. (Leenhardt, 2006:50)


Para compor o próprio jardim, as crianças, enquanto pintavam, unificaram a releitura da escultura de Varejão à superfície de papel branca, contrastantes à folhagem escura da costela de Adão, da estrelícia, que se parecem às de bananeiras, e às sementes de Pandanus – antes, cuidadosamente regadas. Em meio a essa paisagem, o banco de jardim que naturalmente convidou as crianças à leitura de títulos já conhecidos e de novos que Thaís, mãe de Alice, trouxe.


Integrados a essa fase do projeto, Pedro Maitan, na sua sharing basket, com todas as suas ferramentas de jardim, deu a oportunidade a ele e aos amigos de plantar, de sentir a textura e o cheiro da terra e enterrar as sementes de Margarida. E Davi, dentre tantas coisas compartilhadas, trouxe a sua lanterna colocada na cabeça, igualmente a um cirurgião, mas que, segundo ele, servia para caçar sapos, um bicho bastante sugestivo para essa área.

Do verde aos tons amarelados, houve a chance de reparar as transformações que essas plantas sofreram ao longo de duas semanas. As folhas, em novos tons, com suas pontas já dobradas, Thomas afirmou que elas estavam tristes e questionou por que ninguém havia mais regado. Davi ressaltou a ação do vento que, de tanto fazê-las rodar, ficaram, assim, danificadas e Alice, mais pragmática, comentou que elas haviam morrido. Todos os comentários seguramente sugerem a ação dos tempos, seja meteorológico seja o cronológico, naturalmente assimilados por eles.


Não podemos deixar de mencionar a instalação luminosa já na entrada da escola, anunciando a nossa Festa Junina e os ensaios assíduos da turma, embalada pelas músicas Olha pro céu na voz de Luiz Gonzaga e Barquinho de Papel de Borba de Paula.


Parabenizo todos os envolvidos na festa junina uP e que, com essa ajuda, a tornou ainda mais especial! Nos ensaios, nossos alunos esbanjaram alegria e dedicação. No dia, foi uma felicidade ao vê-los dançando junto à família.


Obrigada,

Teachers Naná and Lu




39 visualizações

UNIDADE I

Educação Infantil

Rua Presidente Antônio Candido, 242

Alto da Lapa, São Paulo

UNIDADE II

uP Baby (berçário) e uP 1

Rua Sales Júnior, 617

Alto da Lapa, São Paulo

secretaria@theupschool.com.br

adm@theupschool.com.br

11 2935-9345

whatsapp 11 98646-0027

feito com amor

created with love

  • Grey Instagram Ícone
  • Grey Facebook Ícone
  • Grey Vimeo Ícone